Raiva, O que fazer com ela?

  • 0

Raiva, O que fazer com ela?

Category : Postagens

”Qualquer pessoa pode se tornar raivosa. Isto é fácil de acontecer; mas dirigir a raiva à pessoa que merece, no grau certo, no tempo certo, e de modo correto – não está ao alcance de todos e não é fácil.”
Aristóteles

Raiva. Só de ouvir a palavra,ficamos paralisados. Mas a verdade é que sendo humanos, sentimos raiva. A raiva nos ajuda a defender nossos direitos e a proteger as nossas liberdades – tanto individuais quanto  coletivas. Ainda que a raiva tenha aspectos positivos, sabemos muito bem que  ela pode tomar formas destrutivas: violência física e emocional, depressão e até doenças.

A raiva nos impõe um desafio: o risco de destruir relacionamentos e conseqüentemente nossas vidas, quando agimos sob pressão do ódio. Para que isto não aconteça é preciso entender o que é a raiva. Muitas pessoas confundem raiva com agressão. Raiva não é agressão. Raiva é aquilo que sentimos, agressão é o que fazemos porque estamos com raiva. Portanto, raiva é um sentimento que pode levar a uma ação destrutiva. Como toda a emoção, a raiva pode ser expressa de várias formas, de modo construtivo e destrutivo. Podemos aprender a transformar nossa raiva em uma arma que nos fere e fere os outros, em um instrumento que promove entendimento e mudanças saudáveis em nossos relacionamentos.

Os Drs. Harold Bloomefield e Robert Kory, autores do livro Inner Joy (Alegria Interna) afirmam que existem quatro maneiras de se usar a raiva de modo construtivo:

1) Expressar sentimentos doloridos
2) Mudar uma situação que fere sentimentos
3) Prevenir que situações que causam sofrimentos aconteçam novamente
4) Melhorar os relacionamentos e aumentar a comunicação.

A verdade é que o modo que muitas pessoas expressam raiva não se enquadra nas seguintes metas:
Raiva Passiva : Algumas pessoas não admitem que estão com raiva. Vivem agindo como vítimas e mártires. Cultivam em volta delas o sentimento de culpa nas outras pessoas.

Raiva agressiva: A raiva agressiva pode ser física – bater no outro, bater as portas, fechar gavetas com força, jogar coisas no outro ou agredir de modo verbal: gritar, xingar, atacar abaixo das virilhas, e utilizar de sarcasmo.
Raiva passiva –agressiva: É a raiva que superficialmente parece passiva, produto de ações involuntárias e inconscientes mas que no fundo é um ato de agressão. Este tipo de raiva é dita de forma indireta, mas como todo ato agressivo pode fazer as pessoas sofrerem e humilhar os outros. Por exemplo: Paula não quer fazer o jantar porque está cansada. Em vez de dizer o que sente e expressar o que quer fazer, ela faz o jantar mais deixa a comida queimar acidentalmente. Atrasos crônicos, gastos excessivos, dirigir de modo imprudente, perturbar os hábitos das pessoas são exemplos de “agora é minha vez, me vingo.”
Raiva Indireta: É a raiva que é dita de modo circunstancial. Geralmente este tipo de raiva envolve sinais, mensagens para que o outro adivinhe os pensamentos, ou mesmo evitando-se a responsabilidade. Este tipo de raiva geralmente envolve uma triangulação. Em vez de se dizer o que sente à pessoa certa, se manda recado por parentes, amigos e crianças – muito comum é casos de divórcios.Expresse sua raiva de modo assertivo
Quando expressar a sua raiva, diga o que lhe aborrece de modo direto, de modo claro e firme. Sem atacar as pessoas. A raiva assertiva coloca limites e expressa a necessidade da pessoa. Para que isto seja feito é preciso que você use expressões que começam com o pronome EU em lugar de VOCÊ. Por exemplo: “Eu não gosto de me sentir ignorada” e “Estou indignada, enfurecida, etc” ou “Esperava que você telefonasse ” Estes são exemplos de raiva assertivas.A raiva assertiva é um método de se comunicar carências e sentimentos sem violar a integridade das outras pessoas.Esclareça sua raiva.

Uma briga a respeito da cor do carro que se vai comprar ou de um sofá novo para a casa, provavelmente não é a respeito de um objeto mas é a respeito de quem toma a decisão no relacionamento ou quem tem mais influência . Se você se engana pensando que este tipo de briga é uma disputa por preferência, você vai ter a mesma briga na próxima vez que for tomar uma decisão. Se você não expressar o que sente de forma direta e aberta, o que lhe aborrece vai se tornar uma forma sutil de destruição.

Procure saber o porque de sua raiva, o que realmente lhe aborrece e vá mais fundo. Pare, respire fundo e se pergunte:

“O que estou pensando e sentindo?”

“Por que esta situação me deixa com raiva?”

“O que me faz realmente zangado?”

 

Dê tempo um tempo…

Vá devagar! No meio da raiva falamos de modo impulsivo! Tudo nos parece urgente. Mas poucas situações exigem decisões inadiáveis ou medidas de última hora. Ir devagar, nos ajuda a nos remover da situação e manter a calma.

Para aquelas pessoas que foram criados em famílias onde a raiva era um sentimento proibido, e que agora gostam de expressar o que sente de modo livre, a idéia de ficar calmo e esperar soa como uma amarra. Mas é importante se distinguir e reconhecer a raiva e o que nos leva a expressa-la. Reconhecer a raiva é sempre útil. Expressa-la talvez não seja. Explodir de raiva só para mostrar que está aborrecido raramente vai levar a mudanças. Continuar calmo, enquanto se fala de carências é mais eficiente e pode traz mudanças.

Pratique desligamento …

Desligar da situação que lhe aborrece não significa frieza, nem ignorar a situação, mas reconhecer que você e a pessoa que lhe faz com raiva são pessoas diferentes, são duas pessoas, com direito a sentimentos e com necessidades. Quanto mais você se lembrar disto, mais você vai facilitar o processo de se tornar calmo e manter a respeito pelas outras pessoas. Este tipo de pensamento nos ajuda a manter uma distância saudável.

Continue fazendo que as informações circulem. Numa situação conflitante algumas pessoas tendem a se calar, se removendo da situação. Sair da situação, deixando a sala onde uma discussão lhe afeta, ou usar o isolamento como um tratamento, só fazem a quantidade de informação que deveria ser trocada diminuir ou desaparecer de uma vez. Infelizmente, se calar ou desaparecer diante de uma situação raivosa não vai fazer a raiva passar mais pode fazer com que ela venha a escalar.Se possível concorde em continuar aberto para uma troca de informação. Se em vez disto a raiva intensificar, ambas as partes devem fazer um acordo de levar um tempo à parte. Outra maneira de apaziguar a ira é escrever o que se sente e entregar a pessoa com quem você está tendo problemas.

Aprenda como dosar o grau de sua raiva.
Raiva tem grau. Ela vai de um sentimento longo e continuo a um sentimento temperado e de irritação. De uma extremidade a outra, a raiva pode ser passageira ou eterna. Isto acontece porque muito de nós fomos criados para não expressar nenhuma raiva. O resultado é que não sabemos expressar raiva. A maioria não sabe que a raiva pode ser utilizada como uma faca afiada ou como uma pluma. Tudo depende de como usamos a nossa raiva.Se estamos no cinema e a pessoa sentada na frente ou atrás faz comentários sobre o que vê e isto nos irrita, podemos dizer: “Por favor não posso ouvir com você falando o tempo todo.”Se o barulho continua, podemos levar nosso pedido a um nível diferente dizendo: “Silencio!” Mas se seu pedido continuar sendo ignorado você pode fazer outro pedido acompanhado de uma conseqüência: “Se você não parar de falar vou chamar o gerente.”Finalmente, se nada mudar você deve fazer o que prometeu e chamar o gerente. Raramente precisamos chegar até as ultimas conseqüências. Porque muitas pessoas têm medo de expressar a sua raiva, elas preferem não expressar nada. Quando não expressamos a nossa raiva, nos sentimos frustrados e pulamos de uma vez para um próximo nível, isto é descambamos de vez, fazendo com isto que as pessoas se sintam feridas pela nossa explosão intensa.

Deixar passar as situações raivosas que você não tem nenhum controle sobre elas ou tentar mudar as pessoas ou as circunstâncias as quais você não controla só leva frustração. Reduza a sua energia assim fazendo, você vai exercitar o seu poder.

Aceite o que leva você a ferver de raiva: Como as pessoas, o estilo da raiva varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas resolvem um conflito de raiva com ruídos e argumentação calorosa. Outras pessoas resolveriam a mesma situação com calma e através de uma discussão amena. É provável que entre nós não tenhamos muitas pessoas que consigam resolver raiva com humor ou dando risadas. Não importa o estilo que as pessoas tenham, a melhor maneira de lidar com a raiva é dialogando. LIDANDO MELHOR com a  raiva, você pode ser tocado, fazendo uma ponte de apoio entre duas pessoas singulares com um amor que cura.


Leave a Reply

Converse conosco agora.